Guia gringo para pegar carona

Um branquela ianque conseguiu passar por 50 capitais americanas em 50 dias consecutivos de viagem, s de carona! Para explicar a faanha, botou no YouTube um vdeo com seus mtodos na hora ir de para o acostamento. Veja voc mesmo...

 

 

Posts relacionados:

 

- A arte de pegar carona!

- O drama de um caroneiro

- Longe de casa... Touros (RN)



Escrito por Jeferson Jess �s 23h25
[] [envie esta mensagem] [ ] []



Cara e crach no Rio (pt.4)

Artistas na areia de Copa - vspera do grande show

 

 

O clima de sexta-feira era contagiante e amistoso. Muita gente pela praia, sol forte, turistas de todos os cantos do planeta, maioria j com a pele queimada cor-de-rosa, tentando se interagir com os ambulantes preparados para a muvuca do dia seguinte. Nada parecia com o terrorismo pregado por alguns cariocas, que alertavam sobre possveis brigas, roubos e violncia no local do mega-evento. Papo meio chato, como se no bastasse a propaganda negativa da cidade que oferecida diariamente pela imprensa.

 

No meio da Avenida, um cinturo de fotgrafos com suas pesadas teleobjetivas no tiravam o foco da janela do Copacabana Palace. Todos queriam o flagrante de um aceno, uma apario qualquer de algum da banda. Rapidamente descobri que a bendita credencial estava sendo distribuda na sobreloja do Hotel Excelsior, espao alugado pela agncia de comunicao.

 

Ana Paula trabalhava na assessoria. Era o nico nome que lembrava para tentar uma nova negociao. Tinha feito contato com ela um ms antes para credenciar minha revista, mas acabaram negando o pedido. Acreditava que um corpo a corpo com a jornalista, quando o que vale uma boa lbia e olhos nos olhos, poderiam talvez reverter aquela situao desfavorvel.

 

Eu representava a Revista Bagagem, projeto de faculdade que teve apenas uma edio impressa. A revista de turismo abordava principalmente destinos mochileiros e cultura backpacker. Minha proposta de trabalho era fazer a cobertura do show dos Rolling Stones focando as peregrinaes dos amantes do rock por todo o pas. A Woodstock tupiniquim! Andarilhos carregando bandeiras estampadas com a lngua de fora. Caroneiros do rock e suas mochilas cargueiras fedidas. Geraes mais velhas, cruzando o Rio com suas motocicletas customizadas. Traficantes disfarados de hippies modernos, trazendo combustvel para milhares de fs que atravessavam a noite sem dormir, em loucas excurses movidas a orgias e bebedeiras.

 

Na sobreloja uma confuso para pegar as credenciais. Jornalistas de diversas nacionalidades estavam presentes. Apresentei-me a Ana Paula e disse que estava ali para trabalhar, independente da credencial. Mas se me ajudasse, poderia fazer um trabalho ainda melhor. Atormentada pela correria do movimento na sala, Ana mandou eu aguardar um pouco. Quando a sala deu uma esvaziada, entrou um jornalista argentino, querendo seu crach.

 

- Desculpe amigo, teu nome no est na lista. Quem limitou as credenciais foi a produo internacional da banda. Lamento disse o chefe da Ana, um cara de pouca conversa que j foi despachando o muchacho.

 

O gringo parecia ter uns 45 anos, cabelo gorduroso por causa do suor e usava uma ridcula camisa floral junto com bermuda curta. Tentou fazer um escndalo, mas foi alertado que poderia levar um mata-leo do segurana, parado ali na porta. O clima ficou tenso. Ana Paula chegou pra mim e disse para voltar no dia seguinte, s 15h. Se sobrar uma credencial te dou, mas no posso garantir. Mais que isso no posso fazer por voc.

 

Resmunguei alguma coisa, me despedi dela e voltei para praia. Joguei minhas roupas num quiosque de bebidas e mergulhei no mar, afogando as ltimas esperanas de trampar na rea vip do show. (continua pt.5)

 

Posts relacionados:

 

- Um gonzo na Costa do Saupe

- Os hippies de Arembepe

- Fortaleza by night



Escrito por Jeferson Jess �s 14h49
[] [envie esta mensagem] [ ] []



Sensaes de Copacabana (pt.3)

Terceira parte de um dirio vencido

 

 

Meia hora no sinistro bonde, cruzando a Tijuca, Lapa e parte do Centro, chego ao bairro do Botafogo. Desci quase na frente da agncia de comunicao que assessorava o show, um fundo de prdio escondido, pra no dizer um muquifo. O porteiro me olhou desconfiado e, com poucas palavras, tratou logo de acabar com minhas pretenses. T tudo fechado. Acho que ningum volta hoje pra c.

 

Fiquei decepcionado (deveria ter ido direto para praia pegar um sol), mas no desviei do meu planejamento. Diante de tantos jornalistas internacionais que estavam na cidade, era difcil imaginar a assessoria recebendo o pessoal naquele lugar obscuro. Com certeza, alugariam um escritrio em Copa para causar uma impresso menos fuleira. Peguei o metr at Copacabana para fazer um reconhecimento da rea onde seria realizado o show. Duas quadras da estao Arco Verde, surge os fundos do Hotel Copacabana Palace, local de estadia dos Rolling Stones, da toda sua equipe e tambm de alguns turistas gringos milionrios.

 

Fui caminhando pelo corredor de prdios at alcanar a beira-mar, acompanhado por um som forte de bateria e guitarras em transe que vinham do alm. O barulho aumentava progressivamente a cada passo, ecoando dentro de mim arrepios e uma sensao de xtase muito grande. Quando dobrei a esquina, parecia ter entrado num grande portal mgico, onde todos os sonhos se misturavam sob efeitos do sol forte e da gua salgada, algo que nem um cido de vero poderia fornecer.

 

Aquela acstica envolvente vinha dos roadies da banda, terminando a passagem de som sob o monstruoso palco montado na areia, em frente ao hotel. A produo tinha construdo at uma passarela por cima da Av. Atlntica, ligando o palco ao Palace, para que a banda no tivesse nenhum contra-tempo com fs e imprensa na hora do show. Atnito, demorei a dar-me conta que estava no Rio, no meio da multido para ver uma das maiores bandas de rock do mundo.

 

Era um momento de extrema felicidade, que sempre me faz lembrar das pessoas que gosto, como se eu precisasse dividir aquelas sensaes com algum. No fundo, me sentia o pior dos egostas sabendo que poderia compartilhar tudo aquilo, mas naquela hora estava ali sozinho. Pensamentos estranhos que s desapareceriam minutos depois ao tomar algumas cervejas... (continua pt.4)

 

Posts relacionados:

 

- Medo e delrio no Rio de Janeiro (pt.1)

- Caldeiro Cultural

- Jericoacoara 



Escrito por Jeferson Jess �s 20h56
[] [envie esta mensagem] [ ] []




[ ver mensagens anteriores ]



Objetivo da Expedi��o
Contornar todo o litoral da Am�rica Latina utilizando apenas a carona! Uma aventura que vai promover a pr�tica deste transporte alternativo e resgatar o humanismo entre as pessoas.


Pr�xima etapa
Data ainda indefinida (depende de apoios e parcerias). Sa�da de Curitiba, contornando todo o cone sul at� alcan�ar a cidade de Santiago, no Chile.


Meu perfil
Jornalista e arquiteto de informa��o, 25 anos, ainda morando em Curitiba, Brasil. (ver portf�lio)


Entre em contato
>>
>>


Expedi��o no Orkut



Arquivo secreto
Jan / Fev - 2008
- P�ndulo humano
- Fundos de investimentos pe�onhentos
- Praia do Sono, Antigos, Ponta Negra
- Condom�nio Laranjeiras
- Travessia da Joatinga, Camburi (Ubatuba)

Out / Nov / Dez - 2007
- Surfando na carona do trem
- Ilha do Cardoso
- Cochilo em Canan�ia

Set / Ago - 2007
- Mundos distintos
- Idade nova em transe matinal

Jul / Jun - 2007
- Di�rios do viol�o
- Ilus�o do engano
- Old generation

Maio / 2007
- O turismo cemiterial
- Caronas arriscadas
- Cachoeira da Fortuna

Abril / 2007
- Paniquetes pegando carona
- Retrato dos exclu�dos
- Peregrina��o pelo Caminho de Peabir�
- Quando o rock fala mais alto

Mar�o / 2007
- C�nion do Guartel�
- Terra das cachoeiras gigantes
- O turismo revolucion�rio
- Truque de acostamento
- Carma de Conquistador

Fevereiro / 2007
- Carnaval em Superagui
- Ficando na estrada
- Lapas e tro�os nas praias do Paran�

Janeiro / 2007
- Pared�es do sul
- Subindo a serra
- Praia do Rosa, Farol de Santa Marta
- Garopaba, Ferrugem

Dezembro / 2006
- Guarda do Emba�
- Governador Celso Ramos, Florian�polis
- Tempos estranhos em Santa
- Aquece para a quarta etapa
- Caindo fora

Novembro / 2006
- Carona � uma merda
- Guia gringo para pegar carona
- Medo e del�rio no Rio de Janeiro
- O drama de um caroneiro

Outubro / 2006
- Ponto de carona
- Carona na rede
- Chapada Diamantina - parte 3
- Chapada Diamantina - parte 2

Setembro / 2006
- Chapada Diamantina - parte 1
- Quanto custa viajar de carona no Brasil
- Devaneios de Ilha Grande

Agosto / 2006
- Expedi��o j� planeja 4� etapa
- Alc�ntara, A arte de pegar carona
- Rio Pregui�a, S�o Lu�s do Maranh�o
- Delta do Parna�ba, Len��is Maranhenses
- Lagoinha, Jericoacoara

Julho / 2006
- Canoa Quebrada, Fortaleza, Beach Park
- S�o Miguel do Gostoso, Touros, Galinhos
- Ba�a Formosa, Praia de Pipa, Natal
- Jacum�, Tambaba, Jo�o Pessoa, Mamanguape

Junho / 2006
- Recife, Olinda, Ilha de Itamarac�
- Carro Quebrado, Maragogi, Porto de Galinhas, Caruaru
- Aracaju, Penedo, Macei�
- Salvador, Arembepe, Praia do Forte, Mangue Seco
- Parceiros de trip

Maio / 2006
- Chamando o gonzo
- Na espera!
- Vai come�ar a 3� etapa da expedi��o


Sites bacanas
Atire no dramaturgo
Blnicas
BrPoint
Caronas.com
Cmera Digital
ClickMarket
Coluna Extra
Contraditorium
DegustaParania
Digestivo Cultural
Esportes diferentes
Fbio Seixas, verso .txt
Freelancer - profi que rala
Hitchhikers.org
Hostelling International
Intermezzo
Interney
Jornalistas da Web
Mochileiros.com
NovoMundo.org
Obvious
Observatrio da Imprensa
Papo de Homem
Popload - Lcio Ribeiro
Querido Leitor
Revoluo Etc
Usabilidoido
Viaje Aqui
ViuIsso?
Webinsider

Sites parceiros
360grauss
Blog do Noel
Cledson Down
De gra�a � mais gostoso
Guia do Viajante
Jegue-BR
Melhores da Web
One Zillion Dollars
O melhor para download
O seu lazer na web
Pil�ndia
Plant�o NET
Publicidade e propaganda
P�rolas do Orkut
Resistindo
Teobaldo HP
Trilha do Brasil
Verdade Absoluta


Site Meter

Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com



Free Page Rank Tool

--------------------------------